Lafaiete Contabil - Contabilidade Ribeirão Preto

Matérias | IRPF 2019 - Como se organizar para prestar as contas.

Este ano, o prazo para a entrega da declaração está menor.

Conforme IN/RFB nº 1871 o contribuinte terá do dia 07 de Março a 30 de Abril.

“importante começar o quanto antes o processo de organização dos documentos necessários para não correr o risco de esquecer informações ou cometer erros no preenchimento. Solicitar os documentos junto a bancos, médicos e escolas que podem demorar. Um lembrete que muitos me perguntam, este ano todos os dependentes devem apresentar o CPF, de qualquer idade. Estou sempre à disposição... Lafaiete”.

Obrigação de declarar, trabalhadores urbanos:

  • Rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 no ano de 2018.
  • Rendimentos isentos, não tributáveis ou exclusivamente na fonte superior a R$ 40 mil.
  • Ganhos de capital na alienação de bens ou realizaram operações em bolsas de valores.

Obrigação de declarar, trabalhadores rurais:

  • Receita superior a R$ 142.798,50 em 2018;
  • Proprietário de bens com valores superiores a R$ 300 mil.

Com poucas despesas a declarar ou nenhuma

  • Deve optar pela versão simplificada da declaração, no qual a Receita Federal deduz 20% sobre os valores dos rendimentos tributáveis que somem até R$ 16.754,34.

O saldo do imposto devido

  • Poderá ser pago em até oito quotas mensais. As parcelas não podem ser inferiores a R$ 50. O imposto com valor inferior a R$ 100 deverá ser pago em quota única.

O saldo de restituição

  • Enviar a declaração no início do prazo também recebe mais cedo à restituição caso tenha direito. Os valores começam a ser pagos em junho e vai até dezembro.

Cair na Malha Fina

  • Se a declaração apresentar inconsistências, pode cair na malha fiscal e atrasar a sua restituição de imposto ou pagar impostos maiores do que os devidos.

Se perder o prazo de entrega

  • Estará sujeito à multa de 1% sobre o valor total do imposto devido. A cobrança mínima pelo atraso foi fixada em R$ 165,74 e poderá atingir o valor máximo de até 20% do valor do imposto devido.

Documentos necessários

  • Cópia da declaração do IRPF entregue de 2018;
  • Nome e CPF dos dependentes (de qualquer idade);
  • Informes de rendimentos recebidos das fontes pagadoras (salários e autônomos);
  • Informe de rendimentos do INSS (aposentados e pensionistas);
  • Informes de rendimentos financeiros fornecidos por bancos;
  • Informes de pagamento de previdência privada;
  • Recibos/carnês de despesas escolares (nome e CNPJ dos estabelecimentos de ensino);
  • Pagamentos a pessoas Físicas (nome/CPF despesas com médicos, dentistas e psicólogos);
  • Pagamentos a pessoas Jurídicas (nome/CNPJ despesas com hospitais, planos de saúde, clínicas);
  • Recibos de aluguéis pagos e/ou recebidos;
  • Nome e CPF de beneficiários de doações/heranças e respectivo valor;
  • Pagamento de pensão alimentícia judicial (Nome e CPF de ex-cônjuges e de filhos);
  • Empregado doméstico (nome, CPF e nº. NIT, recolhimento INSS e total pago);
  • Imóveis adquiridos e/ou vendidos (Escrituras, compromissos de compra e venda);
  • Veículos Compra e/ou venda (nome, CPF/CNPJ do comprador ou do vendedor e RENAVAM);
  • Aquisição de veículos ou de bens por consórcios;
  • Rescisões trabalhistas, com valores individualizados de salários, férias, 13º salário, FGTS...;

“O caminho é o mesmo, o que oferecemos de novo é o jeito de caminhar”.